+

+

*

*

quarta-feira, 29 de abril de 2015

segunda-feira, 27 de abril de 2015

25 DE ABRIL SEMPRE ! BERÇO NUNCA MAIS !



Chegou a grande noite e que grande trapalhada...

Foi preciso comer arroz de pato, na véspera do 25 de Abril para tudo acontecer… E que belo arroz do Pato!

Todas empolgadas, Mary, Eva e Joana esperavam ansiosamente pela última mamada da Paxulé, enquanto o pai Pato atacava umas aldeias no iPhone, e, eu nostálgica com a mama de fora previa que não passaria dessa noite.

- Já adormeceu. Vou pô-la na cama. - E fui.

Bastou voltar para todas perguntarem em uníssono…

- Está na cama dela ou no vosso quarto?
- No nosso quarto… ups! Não consegui mete-la na caminha dela… então e se depois acorda, ou se tem frio… sei lá… - Respondi. 
 
Riram-se e gozaram, ao mesmo tempo, que o pai Pato encolhia os ombros e clicava energeticamente no ecrã do iPhone na convicção que atacava com sucesso mais umas quantas aldeias.

Em excursão silenciosa fomos até ao quarto onde a Paxulé já dormia. Eva fez sinal e eu aprovei… Parecia uma missão das forças especiais.

Meio trapalhona, mas com extremo carinho, Eva pegou na Paxulé, e fomos entre risadas da Mary até ao quarto da cama de grades… Chegadas ao local. Eva não consegue terminar a missão e Paxulé dispara em choro estridente!

- Oh! Meu Deus! Acordouuuuu - foram as nossas palavras.

- Aiiii... Se não fosse o ângulo errado e aquela rotação de 180 graus finais, tinha conseguido! - diz preocupada Evita linda.

Pai Pato, aparece com o casaco de Capitão MOR vestido e delega as nossas funções.
Tu, apaga as luzes! Tu, liga o intercomunicador. Tu, liga a música nº2. E agora, temos de sair do campo de visão da Paxulé. Shhhhhhh! Shhhhhh! Shhhhhhh!

Imediatamente cada destinada fez o que lhe competia e ficámos sentadas à volta da cama de grades, enquanto Paxulé era contaminada pelo sono e adormecia…

Finalmente adormeceu e só acordou eram 9h30 da manhã.

Como recompensa, na manhã do 25 de Abril, o pelotão da cama de grades foi à Marianita comer um requintado pastel de nata.